Calma, eu explico-te a crise na Venezuela como deve de ser

“É que nem vale a pena Zangado, sei perfeitamente que a Crise na Venezuela é porque eles são comunas!” Olha que não.

Para não te maçar demasiado, vamos fazer a coisa curta e grossa:

depois de Simon Bolívar, a Venezuela tem andado de ditadura em ditadura, de golpe de estado em golpe de estado. Curiosamente, muitos são os venezuelanos que acreditam que tal desestabilização é, por norma, criada por países estrangeiros. Mas porquê?

Reservas confirmadas de petroleo de acordo com a EIA, 2017

Como podes ver, só a Arábia Saudita – esse reino de liberdade não-comunista onde jornalistas são cortados às postas – tem tanto petróleo como a Venezuela.

Caso não saibas também, o preço do petróleo é manipulado em USD. Quando isso não resulta aparecem logo motivos para uma invasão militar dos EUA (ver Iraque, Líbia, Síria, etc).

Como neste caso uma invasão militar daria problemas com os aliados da Venezuela (Rússia, China e Turquia) mais vale ao EUA fazer mais um novo assassinato económico. E eis a inflação a subir até este ponto:

É minha riqueza; o teu dinheiro vale sempre o mesmo vale.

Para não variar EUA e os seus lacaios europeus querem mais é que o povo morra todo à fome até terem no poder um qualquer fantoche que volte a vender o último recurso natural ainda não roubado ao país de Maduro.

Para isso estão desde 2014 a baixar o preço do petróleo nos mercados para criar pressão adicional e retirar liquidez à Venezuela, aumentando assim a inflação para valores tão absurdos como 1.698.488%

Ainda mais grave: o Banco de Inglaterra recusou o levantamento de 1.2 mil milhões dólares em ouro pertencentes à Venezuela. Porquê? Porque sim, ora esta!

Para além disto, as sanções já em vigor deverão custar 11 mil milhões de dólares ao governo Venezuelano o que, como todos sabem, só irá agravar a já desesperante situação.

Entretanto, Maduro, enquanto o povo morre à fome, vai comendo bifes de 800 euros no restaurante do SaltBae.

E quando digo morrer à fome não estou de todo a exagerar. Em média, um terço da população perdeu mais de 9 kilos no que, com o bom humor possível, o povo chama de “a dieta de Maduro”.

O crime e a morte estão também a crescer exponencialmente naquele que já foi o país mais rico da América-Latina.

Violentos protestos acabam quase sempre em muitos feridos e mortos em imagens que permitem a todos gritar “tás a ver pa, comunismo não funciona, bota para o capitalismo que resulta tão melhor”.

Mas será mesmo uma questão de ideologia política ou estamos, mais uma vez, perante um assassinato económico dos amigalhaços do costume?

Para não variar, quem se lixa é o povo. Povo esse que não está para rebolar e onde a tecnologia está a dar uma ajuda. Para tentar escapar da crise, os venezuelanos recorrem cada vez mais ao Bitcoin (BTC) e a outras criptomoedas. De acesso mais fácil do que o dólar, submetido a um rigoroso controle pelo Banco Central, a moeda não pára de subir nos últimos meses.

“Não quero saber Zangado, o capitalismo funciona e o comunismo não!” Hum-Hum. Ainda bem que só 22% da população da EU vive na pobreza.

Obviamente que a tua e a minha opinião não interessam uma vez que o nosso Governo está cá para obedecer a ordens mericanas (member Iraque Durão?):

O ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, afirmou quarta-feira o seu pleno respeito “à vontade inequívoca” mostrada pelo povo da Venezuela e disse esperar que Nicolas Maduro “compreenda que o seu tempo acabou”.

“Do ponto de vista de Portugal, a preocupação é com a segurança da comunidade” portuguesa e luso-descendente naquele país, frisou, acrescentando que não tem notícia de que portugueses estejam em perigo, mas que “a situação é de enorme preocupação”.

Portanto: queremos proteger os tugas por isso vamos apoiar sanções para ver se os matamos mesmo à fome. Adorável, não é?

1 comentário em “Calma, eu explico-te a crise na Venezuela como deve de ser

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *