Escaldante Romance Gay na Máfia de Braga

Desculpa o título à lá Correio da Manhã mas hoje em dia tem de ser. Hoje? Hoje falamos sobre o Bruxo da Areosa e o romance que viveu com um pertencente à Máfia de Braga. Não fica mai Narcos qu’isto.

Calor. Paixão. Emoção e pólos da Lacoste. Isto tem tudo para um filme d’Óliude dos bons. A saber: A terceira sessão do julgamento dos oito homens acusados de terem sequestrado, morto e dissolvido o corpo do empresário de Braga, João Paulo Fernandes ouviu ontem, no Tribunal de São João Novo, Porto, as declarações de amor entre dois arguidos.

Em causa estavam parte das escutas de conversas telefónicas entre o advogado de Braga, Pedro Bourbon, e Emanuel Paulino, conhecido como o bruxo de Areosa que agitaram quem assistia ao julgamento.
 
“És tu que eu amo, que eu mais quero. É a ti que desejo tudo de bom na minha vida. És tu, só tu. Nunca te vou deixar”, disse Emanuel Paulino ao advogado Pedro Bourbon, ambos implicados na chamada máfia de Braga.
 
Emanuel Paulino aka Bruxo da Areosa, tentava desta forma convencer o amante que apesar de terem de se afastar, para que a polícia judiciária não os relacionassem com o crime, nada o iria separar de Pedro Bourbon.
 
Para além das juras de amor, os dois telefonemas de uma hora e meia no total, revelam ainda a opinião que os arguidos tinham dos inspectores da Judiciária que apelidaram de “otários” e “parolos.” Vejamos agora o que serão apelidados eles na prisão. Os parolos parece-me promissor. 

 

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Share