A rede social mais nociva à saúde mental? Instagram

Quem diria! Afinal a rede social mais nociva não é nem o Facebook nem o Twitter mas sim o Instagram.

O estudo da Royal Society for Public Health diz que 90% das pessoas entre 14 e 24 anos usam redes sociais – mais do que qualquer outro grupo etário – o que as torna ainda mais vulneráveis aos seus efeitos colaterais.

Ao mesmo tempo, as taxas de ansiedade e depressão nessa parcela da população aumentaram 70% nos últimos 25 anos.

O estudo que avaliou 1.479 indivíduos mostrou que a partilha de fotos pelo Instagram tem um impacto negativo no sono, a auto-imagem e a aumenta o medo dos jovens de ficar por fora dos acontecimentos e tendências (FOMO, fear of missing out).

Sete em cada 10 voluntários disseram que a app fez com que se sentissem pior em relação à auto-imagem

Entre as meninas, o efeito Instagram foi ainda mais devastador: nove em cada 10 sentem-se infelizes com seus corpos e pensam em mudar a própria aparência, cogitando, inclusive, procedimentos cirúrgicos.

De referir ainda que o Facebook foi considerado a rede mais cruel em termos de bullying e o Youtube, a rede social menos “perigosa”.

O estudo pode ser lido na íntegra aqui.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Share