Hoje o dia correu mal a um puto na escola

Os títulos são claros: um miúdo de 13 anos quase que teve uma overdose na escola. Ai meu deus. Mas na verdade todos sabemos que o João Víctor puxou duas demasiado grandes.

O rapaz, adianta o jornal Guimarães Digital, chegou mesmo a ser encaminhado para o Hospital de Guimarães esta quarta-feira de manhã. Segundo adianta a mesma fonte, foi uma funcionária da Escola EB 2/3 das Caldas das Taipas que prestou os primeiros socorros ao estudante.
Encontrou-o na casa de banho “muito pálido” e “com enjoos”. O director do estabelecimento de ensino explicou que o mal estar do aluno se deveu ao consumo de “substâncias menos aconselháveis”.

E ISSO RECORDA-ME ALGO…

Lembro-me como se fosse hoje. Ali, no spot do costume, mesmo atrás das casas-de-banho da direcção da escola. Debaixo do nariz deles, tau. Quando dei por mim estava no ginásio – ainda era longe – a dizer ao Finéx e ao Bruno que não sentia as pernas. Rimo-nos muito.

Noutra vez, o Bisonte fazia anos. Toca a comprar, na altura, 5 contos. Ai foda-se. Toca a faltar a Inglês e Físic-Ó-Química e ir para a casa abandonada que havia ali perto da escola. Tau, mesmo para a garagem. Três a rodar. Grossos, fortes. O Baronas fez um só pó Bisonte, coitado, p’aí d’um conto. Já os restantes 4 a contos foram em duas bandeiras feitas de um só ventil. Um só ventil.

Pouco depois, mal se respirava. O Olho disse ao Baronas para abrir as janelas da garagem. O Baronas abre. Pouco depois diz o Finéx: “ó Olho, a janelas não têm vidros”.

E foi aí que me comecei a sentir mal. Felizmente foi colectivo. Estava toda a gente absolutamente perdida. “Ai vamos lá para fora que não consigo respirar aqui dentro”.

Havia um muro, entre a casa e a escola. Muito alto. Já foi difícil de subir quando não estávamos todos, mas todos cegos. O Bisonte caiu de testa para a relva molhada. O Orelhas só me dizia “não estou fixe, tenho de beber água, vocês são malucos.”

Fiquei eu, o Finéx, o Olho e o Baronas a matar aquilo que a vitamina está na cartolina. Também caímos no muro. Quando chegamos atrás do pavilhão C está lá grande poça de vómito. Era o Orelhas que estava a bater mal. “eu vi logo que ele estava muito pálido”, afirma Olho

E tudo isto acabou com o Orelhas a dizer que tinha comprado na Ribeira e a levar uma coça de cinto da Mãe. Hoje tirou um curso de Hotelaria, é pai, e vi no Facebook, tem dois filhos muito saudáveis.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *