Feiticeiro da Calheta, o primeiro filme de Alberto João Jardim

O filme “Feiticeiro da Calheta”, sobre o poeta popular madeirense João Gomes de Sousa, autor do “Bailinho da Madeira”, conta com o one and only Alberto João Jardim.

João Gomes de Sousa, poeta popular, pobre, analfabeto, autor da canção “Bailinho da Madeira”, foi uma figura popular, no arquipélago, e o filme, dirigido por Luís Miguel Jardim, centra-se em particular nos anos de 1940/50 e na primeira Festa da Vindima, em 1938. Foi nessa edição que Gomes de Sousa tocou e cantou, pela primeira vez, o “Bailinho da Madeira”, no âmbito da atuação do Rancho Folclórico do Arco da Calheta, que ganhou então o primeiro prémio da festa.

Cerca de uma década mais tarde, em 1949, o cantor Maximiano de Sousa, conhecido por Max, então o mais famoso dos artistas madeirenses, roubou a letra e gravou a canção de Gomes de Sousa em Lisboa, sem conhecimento do autor, como evoca o “Feiticeiro da Calheta”. O filme conta com Alberto João Jardim entre os intérpretes, no papel de um pastor.

Mas Alberto João não se fica só pela representação. Deu em modelo para a capa da Revista Cristina. Ó tão bonito que ficou:

A longa-metragem “O Feiticeiro da Calheta” tem antestreia marcada para 03 de março, na Casa das Mudas, na Calheta, pelas 20:30, e estreia no dia 05 de março, no Casino da Madeira, “com entradas apenas por convite”, informou o realizador, Luís Miguel Jardim.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Share