E o que é feito do Fernando Pereira?

Não estás a ver quem seja? Perfeitamente normal. É o Lord of the Voices pa! Ainda não? Pronto, é o gajo que imitava a Tina Turner. Ou que personifica o quão complicado é, actualmente, ser “artista” em Portugal.

Anos 90, Portugal. A televisão unia famílias pelo país. A Serenela ainda era vista como um objecto sexual, o Carlos Cruz como um bom apresentador ou o Marco Paulo fazia parecer as suas covers originais repletos de sensualidade masculina.

Destacava-se, no entanto, um imitador de excelência. Fernando Pereira, o cantor sem limites! Eu, como criança achava “sim senhor, o homem consegue mesmo fazer muita coisa com a voz”. Depois desenvolvi sentido de audição e comecei a mudar de canal sempre que ele aparecia.

Agora, num duro golpe do destino, cruzei-me com um vídeo promocional no Facebook, plataforma onde ainda só arrecadou uns tímidos 4000 fãs. Achei estranho o “best imitator, actor and performer from Portugal that play in a lot of places around the worlds” tivesse resultados tão fracos. A saber:

Da Intro e “voz à lá gajos dos trailers” da mesma compradas à pressa no Fiver, até à recitação feminina – que de certeza que não é da mulher/agente/directora executiva da musicportugal – a recitar um felácio argumentativo, isto está sofrível.

Arrisco talvez que seja Karma pela injustiça que foi ter tão bons artistas que não conseguiam meter os pés na televisão nos anos 90 porque o espaço estava ocupado com este e outros personagens.

fernando-pereira-cantorMas depois fiquei mesmo com pena do Fernando. É que o homem não deve saber fazer mais nada e está, como se pode confirmar, a gastar os últimos trocos no Facebook a ver se agenda alguma coisa para os emigrantes portugueses lá fora.

Por isso, dá lá uma ajuda ao Fernando. Não indo ver um espectáculo dele – como se compreende que não queiras – mas pesquisa por ele ou assim. Coitado, pa. Como diria o gigante António Variações foram tudo coisas que o cinema lhe projectou no olhar. Foi pena é ter nascido aqui, e não em Las Vegas. Ou ter talento, pronto.

PS: Nando, se por acaso a tua esposa pesquisou por ti no Google e deu com isto e alguém vos está a cobrar pelos flyers e vídeos e campanhas: estás a ser assaltado. Manda-me e-mail que eu ajudo-te baratinho. Muita força.

Share

4 thoughts on “E o que é feito do Fernando Pereira?

  • Junho 7, 2017 at 9:37 am
    Permalink

    A fazer tempo no aeroporto e a caminho de Londres, dei por acaso com este trabalho fantástico sobre a minha pessoa…

    Very nice! Descobri que afinal estou morto… Pelo menos para o seu pequeno mundo. Mas é natural, acontece muito a quem vive em mundos pequeninos, mesquinhos e tacanhos, perdidos na verborreia do seu magnânimo umbigo.

    Enfim, poderei talvez ajudá-lo no seu problema, uma vez que tem tanta dificuldade em me encontrar, ou reencontrar: pode ir a YouTube.com/fernandopereiratv (com 1.800.000 viewers); também estou em Facebook.com/fernandopereiratv (com 57.000 seguidores) e ainda um pouco por este e muitos outros países, onde há gente que sempre me encontra. Sejam portugueses ou não, que aí eu não sou mesmo nada esquisito. Pode vir quem vier por bem.

    E pronto, espero mesmo ter ajudado.

    Agora tenho que embarcar, acabou-se o meu tempo de googlar parvoíces.

    Um abraço do tamanho do mundo. Do meu mundo.

    FP

    Reply
    • Junho 7, 2017 at 1:22 pm
      Permalink

      Fernando, é de facto um monte de parvoíces. Mas encare isto como mais um URL a dar força ao site principal. E sinceramente, quando publiquei o artigo notou-se de imediato que o público ainda lhe tem carinho e, aposto, ainda recebeu uns likes de fãs.

      Agora, que precisa urgentemente de um brand manager, isso precisa. De resto, sou um bom exemplo do que irá encontrar na Internet: idiotas a precisar de assuntos diferentes. Não ligue e dê-lhe com força!

      Reply
  • Agosto 10, 2017 at 3:10 pm
    Permalink

    Acreditem ou não mas enquanto estava a ler este artigo já esperava chegar aos comentários e encontrar um do FP!

    E não me enganei 🙂

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Share