Entrevista ao eloquente Bruno Aleixo

Bruno Aleixo foi e continua a ser uma das mais respeitadas personalidades humorísticas do país. Nem mesmo a mudança de Ewok para Serra-da-Estrela o afectou e continua a desbravar caminho com programas de rádio e livros de culinária. Fui-me meter com ele por causa do seu novo livro e levei no pêlo como seria de esperar porque nem o café pagou.

Nunca falaste muito disso mas é ou não é verdade que foste ao José Maria Tallon ser operado à cara?

Não é verdade. Nem sei quem é esse homem.

Preocupam-te mais os direitos humanos ou os direitos dos animais?

Preocupo-me com todos os direitos por igual. Tirei Direito na universidade, até.

Uma vez fui a Coimbra ao jardim que tem poemas em cimento e encontrei muitas picas. Mesmo muitas. É verdade que Coimbra tem muitos drogados?

Já teve mais, mas também já teve menos e já teve igual. Agora eles já não andam tanto de brinco. É mais difícil quantificar com exatidão.

Tens provas de todas as acusações graves que fizeste sobre o café do Aires?

Fiz zero acusações, muito menos graves. Factos são factos e os amigos não se chateiam com factos. A não ser que sejam amigos-mulheres, claro. Essas ficam sem se falar para o resto da vida. Mas o Aires não é mulher, até porque eu já lhe vi a pila.

café-do-aires-coimbra

Primeiro acabou-se o programa do Aleixo e depois também acabou a Aleixo FM. É porque na vida tudo é mudança ou foste mesmo despedido?

Eu sei que a maior parte dos programas são infinitos, mas faço questão de que os meus nunca sejam. Depois volto quando me apetece. Voltei ao FM, por exemplo.

E como te tens sustentado nestes anos? RSI?

Tenho os meus negócios. São todos legais, só não digo quais são porque não quero concorrência. Ia logo aparecer um chico-esperto a (tentar) fazer o mesmo que eu. Se querem saber as falhas e os vazios legais dos Códigos portugueses, tirem Direito como eu tirei.

Por falar em dinheiro. Andas a pedir às pessoas para te comprarem um livro de receitas que nunca vi na FNAC. Não será esturro? Não pegarás no dinheiro e foges pó Brasil?

Primeiro, não ando a pedir nada: ando a dar a oportunidade de comprarem um livro ímpar. E alguma vez na vida vou precisar de dinheiro para fugir para o Brasil? Tenho mais amigos pilotos da TAP do que tu tens amigos normais.

aleixo

E é só isso que podemos esperar de ti para o futuro? Porque não fazes mais programas do Aleixo na televisão?

Podem esperar excelência de conteúdos e rectidão. Não faço televisão porque gosto mais de fazer rádio. Não há câmaras a ver o que a gente está a fazer. Ainda esta semana estava a gravar e a comer uma mousse. Ninguém notou.

E a dona Aleixo? Nunca mostraste a dona do teu coração. Ou só vais às boátes? Ou é mesmo verdade que tu e o Busto são mais do que amigos?

Isso são três perguntas. Dona Aleixo é a minha avó, não vou só às boîtes e não, não é verdade: somos menos do que amigos.

Bruno, o que diz o teu histórico do browser?

www.google.pt e www.yahoo.com.br.

Diz, com calma, as 9 coisas que mais te deixam zangado e justifica a primeira, terceira e oitava se faz favor.

Deixa estar, não é preciso.

entrevista-bruno-aleixo

Entretanto, viu passar uma Golden Retriever, saiu a correr do café do Aires e nunca mais o vi. Ainda assim e como deixou 20 € na mesa, tenho que dizer que o por mim recomendado livro de receitas dele está disponível, praticamente de graça, no Facebook oficial a visitar e a “meter um gosto” aqui.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *