Velado como se estivesse a jogar Poker

Velório. Essa tão interessante tradição de olhar para gente morta. Felizmente, em Porto Rico, uma família optou por algo diferente: o velado, está a jogar Poker.

Henry Rosario Martínez decidiu assim homenagear o filho com o seu jogo preferido, pelo qual, dizia ser obcecado. O pobre rapaz morreu de “uma intoxicação de medicamentos”.

Este apenas um de muitos estranhos velórios para aqueles lados. Velórios não. A coisa até já tem nome próprio: “morto parado”. E já foi velada gente em cima de uma moto, a guiar uma ambulância ou um táxi, vestido à Che Guevara, dentro de um ringue de boxe, sentado numa cadeira de baloiço ou com a roupa do super-herói Lanterna Verde.

Aliás, os mais atentos sabem que já aqui tinha falado do caso de Jomar Aguayo Collazo (Embalsama filho para o sentar em mesa de bar).

Felizmente neste caso, o falecido tem uma mão sólida e os amigos estão all-in em fazer um raise à sua memória (pareço a Tereza Guilherme, não pareço?)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Share