A misteriosa frota de Toyotas do Estado Islâmico

Jovem, gostas de teorias da conspiração? Acreditas que o auto-proclamado Estado Islâmico tem apoios ocultos para a sua suposta guerra santa? Não desesperes. Tenho mais informações que vais gostar, e pasma-te, não tem nada a ver com refugiados.

Não, coitado do Salvador Caetano, não tem nada a ver com isto. Mas não deixa de ser irónico (e mediante o teu grau de conspiracionismo, interessante) que boa parte da frota de veículos usados pelo Estado Islâmico tenha sido, na verdade, gentilmente doado pelos Estados Unidos da ‘Mérica.

A versão oficial é que os 43 jipes Toyota Hilux que os Estados Unidos forneceram em 2014, a título de ajuda não letal, aos rebeldes da Frente al-Nusra (também chamado al-Qaeda da Síria) que combatiam o regime do Presidente Bashar al-Assad, integrados no Exército Livre da Síria, acabaram nas mãos do Estado Islâmico. Ou seja, os contribuintes americanos acabaram por patrocinar o transporte aos mesmos fundamentalistas que querem ser os seus carrascos.

Mas… há bem mais de que 43 jipes, e todos em mesmo muito bom estado

Podia dizer-se que são sempre os mesmos, mas como se explicam então as diferentes cores,  acessórios e até modelos? Há beges, dourados, brancos, encarnados, pretos e prateados, com ou sem o logótipo do grupo, uns têm suportes para metralhadoras, outros sirenes. A variedade é impressionante, as explicações nem por isso.

estado-islamico-desfile-militar-ei

E como conseguem mantê-los sempre com o aspecto imaculado de um carro que acabou de sair do stand? Afinal, são usados como veículos de guerra?

Pois é, pois é. Mas tudo fica ainda mais assustador quando sabes que o membro do parlamento iraquiano, Alia Nasif, considera que o lançamento de armas pelos aviões norte americanos em áreas de conflitos são intencionais e que as ditas armas acabam sempre em mãos de terroristas, o que contradiz o direito internacional e, aliás, como já aconteceu noutros conflitos (ver barões do méxico e afins).

Porque raio querem os Estados Unidos tal coisa? Sei lá, uma invasão militar à Síria sem condenações internacionais? Desvalorização do Euro e consequente valorização do Dólar com uma crise europeia de refugiados? Quem sabe, quem sabe. Mas agora que já sabes mais umas coisas, podes começar a pensar nisso. Se te lembrares de alguma partilha nos comentários em baixo faz favor.

8BTqF5S

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Share