Marido da ministra Maria Luís Albuquerque: “Tira a minha mulher da equação ou vou-te aos cornos”

A semana está a chegar ao fim e já está a melhorar: O Ministério Público acusou António Albuquerque, marido da Ministra das Finanças, por causa de uma troca de SMS com um jornalista que escreveu sobre o Novo Banco: “Tira a minha mulher da equação ou vou-te aos cornos”, escreveu. “Vais parar ao hospital”, acrescentou.

“Tira a minha mulher da equação ou vou-te aos cornos”. O envio de mensagens por telemóvel neste tom, dirigidas a Filipe Alves, um jornalista do Diário Económico, levou o Ministério Público a acusar António Albuquerque, marido da ministra das Finanças, de cinco  crimes. Na acusação, deduzida no início de Junho, o Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) considera que Albuquerque deve ser julgado por dois crimes de injúria, dois crimes de difamação com publicidade e por um crime de coacção na forma tentada.

O caso remonta a Setembro de 2014, quando Filipe Alves escreveu um artigo de opinião no Diário Económico com o título: “O que acontece se o Novo Banco for vendido com prejuízo?”, onde argumentava que se o banco fosse vendido abaixo do valor do Fundo de Resolução, poderia haver consequências para os contribuintes. No entanto, o jornalista nunca mencionou o nome de Maria Luís Albuquerque no texto. No dia 23 de Setembro de 2014, começou a receber SMS que veio a perceber serem do marido da ministra, seu ex-colega no jornal, e que acabaram assim: “Tu não sabes quem eu sou. Metes a minha mulher ao barulho e podes ter a certeza que vais parar ao hospital”.

“Acabou, vou apresentar queixa contra ti na PSP”, respondeu Filipe Alves. Minutos mais tarde, Albuquerque reforçou o que tinha escrito:

“Agora fiquei preocupado… estás avisado se metes a minha mulher ao barulho nesta história… vais parar a um hospital.”

António Albuquerque ainda disse: “Estou cheio de medo. Reafirmo, tu e o teu director são uns cabrões fdp”. E foi mais longe: : “Vai para o caralho cabrão” e “já te disse vai para o caralho seu merdas”.  Albuquerque ainda se referiu nas mensagens a um caso antigo em que entendia que o jornalista tinha sido usado para dar notícias contra o Governo e a favor do BESI: “A tua memória é muito fraca… queres que te envie um dossier com as tuas notícias a começar pela Perella. Sim tu tens um dossier”.

Jornalista de carreira, o marido da ministra das Finanças foi jornalista do Semanário Económico, depois teve uma experiência como assessor de imprensa e regressou à antiga empresa jornalística. Quando Maria Luís foi nomeada secretária de Estado das Finanças, exercia as funções de editor executivo do Diário Económico. Nessa época, tinha acesso a tudo quanto o jornal estava a investigar ou tencionava publicar. Alegadamente por essa razão, foi despromovido para a área de projectos especiais e acabou por sair em conflito com a empresa e a direcção, com uma indemnização. Alguns colegas do jornal alegam que Albuquerque lidava mal na redacção com notícias desfavoráveis às áreas da governação que diziam respeito à mulher.

Depois de abandonar o Diário Económico em total ruptura chegou a ser contratado pela EDP,

mas a polémica que se gerou em relação à sua entrada na empresa que tivera capitais do Estado levou-o a sair do grupo energético. António Albuquerque foi entretanto trabalhar para um grupo de comunicação social moçambicano.

E pronto, limitei-me a fazer copy paste porque não consigo fazer melhores piadas que estas. Força Luís, e por favor, não me venhas aos cornos.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Share