Maggie, ou o pior filme de Zombies de Sempre

Aviso: isto contém spoilers e caso um filme que vejas no cinema seja mesmo muito mau, não te devolvem o dinheiro à saída.

Tudo começou com a seguinte frase: “olha! um filme de Zombies com o Arnaldo Schwarzenegger! Só pode ser bom!” e noventa minutos de vida gasta depois, tudo terminou com pragas e a tentativa de recuperar o dinheiro dos bilhetes. Estamos perante um clássico caso de “duas cenas com Zombies para o trailer, o Arnaldo com um machado e tudo o resto uma penosa e cansativa mostra de “olha tão bem que eu sei fazer planos” do pseudo-realizador Henry Hobson.

Se os filmes de Zombies tendem a ser lentos (salvo o maravilhoso “28 dias depois” e semelhantes) esta película exagera. Basicamente, Arnaldo tem uma filha infectada e vai buscar a catraia para ela não morrer longe da família. Fim. É mesmo isto. Muito desenvolvimento de personagens que viveríamos bem sem, jerk off técnico pós miúdos a estudar cinema no ETIC, e nada mais.

Arnaldo até recebeu louvores como actor dramático mas para mim é tudo resultado de ter sido Governador. Mal por mal, venha de lá o Exterminador 5 ou 6, já nem sei, que pelo menos, sempre dá umas explosões.

Numa escala de Espetacular a Um Nojo, dou-lhe a pontuação de “mais valia não ter saído de casa”. A sério, nem o download vale. Lê antes um livro que gastas melhor o teu tempo de vida.

 

Share

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Share