Presidente da EDP vai ganhar 1.644 euros por dia, no mínimo

Boas notícias para as casas de alterne de luxo: António Mexia, o presidente da EDP irá auferir um mínimo de 600 mil euros por ano e no máximo, 1,9 milhões de euros.

Tudo porque o presidente executivo e os restantes administradores da EDP vão manter as suas remunerações até 2017, tanto a fixa como a variável, segundo a política de remuneração da empresa aprovada esta terça-feira em assembleia-geral.

António Mexia, presidente executivo da EDP, terá uma remuneração fixa anual de 600 mil euros, “valor já praticado nos últimos três mandatos, ou seja, desde 2006”, sendo que o valor máximo, incluindo o vencimento variável, não poderá ultrapassar os cerca de 1,9 milhões de euros, que isto não é a casa da mãe Joana.

Os restantes administradores executivos terão uma remuneração fixa anual de 480 mil euros e não poderão ultrapassar os cerca de 1,5 milhões de euros anuais com o rendimento variável.

No total, a EDP não pagará anualmente mais de 11,2 milhões de euros, “assumindo que se mantém o actual número de administradores”. Se contratar mais, azar o nosso.

Já agora, só para que te venha mesmo a bílis à boca: a EDP registou lucros de 1.040 milhões de euros em 2014, um crescimento de 4% face ao ano anterior.

Share

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Share