Andou com a cabeça do marido na mala durante 6 anos

Com a tua idade dificilmente saberás quem era a irmã da Tieta, uma tal de Perpétua. No entanto, e para que saibas que as novelas têm muita verdade lá no meio, aqui fica uma notícia a condizer:

Uma mulher de 63 anos foi considerada culpada pela morte do marido, que cortou em pedaços e guardou em caixas. Durante seis anos, a cabeça da vítima foi movida de casa em casa numa carteira de senhora, a dela.

O caso que chocou Nova Jérsia em 2013 está finalmente encerrado. A senhora de 63 anos, acarinhada pela comunidade local e tida como “simpática e generosa”, foi considerada culpada pela morte do marido.

Agora, Perpétua é também a pena que lhe foi atribuída.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Share