Miguel Esteves Cardoso quer a destruição da Palestina

Em tempos li um livro escrito em Portugal e gostei. Chamava-se “O Amor é F0did0” e pertencia a um autor simples e directo, como aliás, gosto. O problema é que afinal a criatura tem opinião, e meu deus do céu, como é terrível. No cada vez mais prestigiante jornal público, Miguel Esteves Cardoso (também conhecido como MEC para os metrosexuais e solteironas com 40 anos), expressou esta semana aquilo que gosto de chamar “o ser do contra porque não se consegue ser mais nada”. O que escolheu Miguelito? Israel claro está! E como este estado desde sempre dedicado à paz e progresso, merece extreminaar na integra os Palestinianos. O que dizer da complexa situação que gerou o Hamas (composto essencialmente pelos que ficaram sem país e família)? Que são umas bestas.

Para Miguel Esteves Cardoso faz por isso todo o sentido matar inocentes palestenianos que é por não terem nascido do lado da fronteira em que está o Hamas. As palavras do próprio:

Por cada cem israelitas que querem um estado da Palestina quantos palestinianos querem Israel ao lado da Palestina? Um. Só os mais inteligentes e humanistas. Felizmente ainda são bastantes. Mas não são do Hamas.

É preciso escolher Israel – tanto pela causa de Israel como pela nossa.

O resto é cobardia, aldrabice, desprezo e estupidez.

E não sendo a política internacional ou as avestruzes que a comentam um bom tema humorístico, este tipo de gente merece estar ao lado da Alexandra Lencastre de mamilo de fora. Aqui ficam imagens dos malvadões desta história a serem levados para um decrépito hospital depois de bombardeados numa mesquita, pelos desgraçadinhos dos Isrealitas:

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Share